Banner Teknisa

Reflexões culinárias ou seriam gastronômicas?

Banner Rancho do Pescador
Banner Cursos de Confeitaria Online

Banner Wenceslau Avila

Nos primeiros contatos que os alunos do IFBG tem com os conteúdos a serem trabalhados, nós chefs e instrutores, gostamos de chamar a atenção para a necessidade imperativa de chamar as coisas, pelo seu nome.

Leia mais: IFBG: uma proposta inovadora no aprendizado da gastronomia em Campinas

Inúmeras são as razões e talvez a mais evidente seja uma exigência ditada pelo fator tempo: um minuto para o comensal esperando pelo seu prato à mesa, é muito mais de que um minuto!

Gastronomia, antes de ser ciência é também arte e arte faz apelo à emoção. Assim chamar um prato de ragu pode ser diferente de chamá-lo de carne de panela, ainda que este segundo possa parecer muito mais explícito.

Ragu, vem de “ragoûter” (francês) que tem o gosto na sua raiz (goût). Um fouet costuma ser fouet em muito mais lugares do mundo de que um batedor.

Leia mais: A Colher de Pau e o Fouet

Não iremos entrar nos detalhamentos de toda uma brigada de cozinha, existem muitos livros que tratam do assunto. Aqui, nos limitaremos a uma rápida reflexão sobre alguns vocábulos, que muitas vezes levam a confusão.

Comecemos pela “cozinha” ou até mesmo “culinária”. Cozinha é antes de tudo um lugar, um ambiente da casa, mas pode ser também uma atividade que consiste na preparação dos alimentos, como cozinha mineira ou baiana e neste caso sinônimo de culinária.

Outra confusão acontece quando, no ambiente culinário, chamamos uma cenoura de produto. Produto é o prato, cenoura é o ingrediente. Sim, cenoura pode ser produto, neste caso “produto agrícola”.

A atividade de preparação a que nos referimos acima é, além de lavar, cortar, ferver, assar também “produzir alimentos” e aí sim existe uma mudança, porque o alimento preparado pode se tornar um objeto cultural, algo saudável, saboroso ou apenas bom. É comum, quando avaliamos um prato, nos expressarmos de maneira quase binária, é bom ou é ruim. Até o dia em que passamos a prestar atenção naquilo que ingerimos, quando então “quem avalia o prato não são mais as papilas e sim o cérebro”, como diz o arquiteto e professor Paulo de Tarso. Os sentidos captam, transmitem ao cérebro via impulsos eletroquímicos que os devolvem via sensações. Sensações de quente e frio, azedo e doce, etc.

O tema é curiosamente extenso. Gostaria de encerrar com a afirmação do cientista Hervé This, criador da Cozinha Molecular, quando ele escreve que os “pratos preparados são produtos da cultura, que muda de acordo com as épocas e com os lugares”. Na próxima vez que você for ao restaurante preste atenção no que diz o seu cérebro ao degustar aquele “produto”, uma especialidade do restaurante que você escolheu com muito cuidado.

Banner Espaçamento

Sobre o IFBG – Instituto Franco-Brasileiro de Gastronomia

IFBG nasceu da necessidade de oferecer a seus clientes um instituto de alta gastronomia com padrão internacional. Foram anos de buscas, pesquisas, longas viagens gastronômicas e inumeráveis contatos com chefs internacionais e as melhores escolas do gênero.

O IFBG foi buscar inspiração para seus cursos de gastronomia lá mesmo onde tudo de fato começou e continuou: na França. Foi até Lyon para entender porque esta cidade, com pouco mais de meio milhão de habitantes, foi eleita a “Capital Mundial da Gastronomia” que hoje constitui um “patrimônio cultural imaterial da UNESCO”. Em Lyon o Instituto encontrou a inspiração que precisava em encontro com aquele que é considerado um dos maiores chefs da nossa história, Paul Bocuse, eleito o “Chef do Século” pela CIA (Culinary Institut of America). Após muita reflexão, estudos aprimorados sobre o conteúdo, métodos de ensino e a assessoria dos melhores profissionais da área, o IFBG ousou em dar o passo que resultou nesta proposta inovadora e diferenciada para o ensino da arte da gastronomia. Aqui está o resultado.

Missão – Acolher, treinar e formar, transmitindo conhecimentos e técnicas das artes culinárias, visando o desenvolvimento pessoal e profissional do estudante, de modo que sua experiência seja única!

Visão – Tornar-se o melhor instituto de formação em gastronomia na sua região de atuação.

Valores – Integridade, sustentabilidade, inovação e lucratividade.


Contato

Endereço: Av. Orosimbo Maia, 1.573 – Cambuí – Campinas
Telefone: (19) 3579-9033 / (19) 99322-6013 (WhatsApp)
Horário de Funcionamento: Segunda a sexta-feira, das 8h às 20h; e sábado, das 8h às 13h

Site / E-mail / Facebook / Instagram / YouTube

 

Foto Destaque: Amirali Mirhashemian/Unsplash
Foto Destaque – Legenda: Ratatouille


Wenceslau Avila

WENCESLAU AVILA

Gerente de Qualidade no Instituto Franco-Brasileiro de Gastronomia. Instituto de alta gastronomia com padrão internacional em Campinas.

Sabor à Vida

Portal do Estado de São Paulo com tudo sobre Gastronomia: Notícias, TV, Cozinhas, Bebidas, Técnicas, Artigos, Guia Gastronômico, Receitas, Classificados e muito mais.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

13 − 11 =