Banner Teknisa

Gastronomia da Nicarágua

Banner Rancho do Pescador
Banner Cursos de Confeitaria Online

A gastronomia da Nicarágua é única e deliciosa. A cultura de maior influência é a indígena, o que torna o milho e a mandioca os principais alimentos consumidos na região.

A Nicarágua, cuja capital é Manágua, é um país localizado na América Central, muito famoso por suas paisagens deslumbrantes, formadas por lagos, vulcões e praias. As comidas típicas têm origem ainda no passado colonial, bem como Honduras e Costa Rica, seus países vizinhos.

Leia mais: Gastronomia da Costa Rica

Por mais que a Espanha tenha participação na formação gastronômica do país, os povos pré-colombianos são os que deixaram mais marcas na cozinha “nica”, a nacional nicaraguense.

O café da manhã típico do país inclui ovos e finas tortilhas de milho. Além disso, diferentemente do Brasil, é comum se alimentar de arroz com feijão ainda pela manhã.

No geral, o almoço e os lanches são compostos por tamales, carnes, banana e pimentas. Os peixes e frutos do mar também compõem as principais refeições do dia.

Banner Espaçamento

Comidas típicas da Nicarágua


Rondón

O rondón é um prato clássico dos países com costa marítima e não poderia ficar de fora da gastronomia da Nicarágua. Ele consiste em uma grande sopa de peixes, camarão, lagosta e diversos outros frutos do mar. Legumes, vegetais e raízes, como mandioca, batata e cenoura são adicionados ao prato. Além disso, o caldo é encorpado com leite de coco e adicionado dos mais variados temperos e pimentas.


Gallo Pinto

O nome é diferente, mas a composição é muito conhecida no Brasil. O gallo pinto é um prato formado principalmente por arroz com feijão, que pode ser acrescentado de cebola, banana, pimentas e diversos temperos. Por mais que no Brasil o arroz com feijão seja a base do almoço, na Nicarágua esse prato é normalmente servido no café da manhã, junto de tortilhas.


Quesillo

Os quesillos consistem em doces de queijo que são vendidos em carrinhos ambulantes nas ruas de todo o país. O prato é composto por uma tortilha com queijo, creme e uma conserva de cebola. É comum que o prato seja acompanhado de molho e uma bebida de milho.


Nacatamales

Os nacatamales recebem nomes diferentes em cada país da América, com pequenas alterações regionais. No México, por exemplo, eles são chamados de tamales. O prato consiste em uma massa de milho recheada com carne de porco, enrolada e cozida na folha de bananeira. Dependendo do local, é possível encontrar nacatamales com diferentes recheios, como frango, peixes, camarão, frutos do mar e também a opção vegana, recheada com vegetais e legumes. O prato se assemelha muito a pamonha goiana, que é cozida na folha de milho, ao invés da folha de bananeira.


Indio Viejo

Índio velho, em português, é uma espécie de guisado de milho com carnes e cebola. O indio viejo tem origem nos primórdios do país, e vem sido passado de geração em geração, desde os povos pré-colombianos. Segundo a lenda, o prato recebeu esse nome quando espanhóis famintos chegaram à aldeia indígena exigindo saber o que estavam cozinhando. Um esperto membro da tribo respondeu que era “apenas um índio velho que morreu ontem“. Até onde se sabe, o truque funcionou e os espanhóis ficaram assustados com o canibalismo e foram embora.

 

Fizemos um breve texto e sabemos que há outras coisas a se falar sobre a gastronomia da Nicarágua. Por isso, se você já visitou o país, conte para nós nos comentários o que ficou faltando na sua opinião!

 

Foto Destaque: Banco de imagens/iStock
Foto Destaque – Legenda: Vista da cidade de Granada, na Nicarágua

Sabor à Vida

Portal do Estado de São Paulo com tudo sobre Gastronomia: Notícias, TV, Cozinhas, Bebidas, Técnicas, Artigos, Guia Gastronômico, Receitas, Classificados e muito mais.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

nove + dezenove =