Banner Teknisa

Tudo o que você precisa saber sobre os vinhos brasileiros

Banner Rancho do Pescador
Banner Cursos de Confeitaria Online

A qualidade dos vinhos brasileiros tem ganhado destaque no mercado e vem, pouco a pouco, conquistando o mundo com uma ampla variedade de aromas. Diversos rótulos nacionais foram premiados mundialmente, e caíram no gosto (e na adega) de quem entende do assunto. Mas de onde veio essa cultura e esse amor dos brasileiros pelo vinho?

No post de hoje, vamos fazer uma expedição para conhecer e descobrir tudo o que você precisa saber sobre os vinhos brasileiros. Está pronto para esta aventura?

Banner Espaçamento

História

O Brasil é o maior país da América Latina e está entre os cinco maiores produtores vitivinícolas do Hemisfério Sul. O País passou por muitas reviravoltas em sua história, mas vem investindo na produção de vinhos, desde a sua colonização.

O representante do governo português, Martim Afonso de Souza trouxe as primeiras videiras para o Brasil, em 1532, com o objetivo de disseminar a agricultura na nova colônia. A experiência foi feita com a espécie Vitis Vinifera e não foi bem-sucedida, uma vez que as condições climáticas e de solo da região de São Vicente, no litoral de São Paulo, não eram favoráveis ou semelhantes ao clima originário.

A primeira tentativa de plantio de videiras que deu certo ocorreu em 1626, no Rio Grande do Sule o mérito foi atribuído ao Padre Jesuíta Roque González de Santa Cruz. A partir daí, os vinhos brasileiros começaram a ser produzidos somente para fins litúrgicos.


Proibição do cultivo

Ao longo das décadas, outras iniciativas de plantio das uvas ganharam força e, em 1789, a corte portuguesa proibiu o cultivo de videiras, com o intuito de proteger a sua própria produção. Esta medida inibiu a comercialização da bebida na colônia.

Com a vinda da família real portuguesa para o Brasil, em 1808, a proibição do cultivo da uva caiu e os hábitos em torno do consumo do vinho começaram a ganhar corpo. De 1817 a 1835, Manoel Macedo, produtor na cidade de Rio Pardo, registra a elaboração de 45 vasilhas grandes e de madeiras em um ano e recebe a primeira carta-patente para a produção da bebida no País. Com a imigração alemã para o Sul do País, iniciada em 1824, também se amplia a produção de toda a região Sul.


Produção

Somente em 1875, com a chegada de imigrantes italianos, que a produção de vinhos brasileiros deu um grande salto. Os italianos tinham o conhecimento técnico necessário para a produção e a cultura do consumo, o que conferiu importância econômica a esta atividade no País.

Nos anos seguintes, muitos acontecimentos marcaram a evolução da produção de vinhos brasileiros. Desde a criação do Sindicato do Vinho, em 1928, as primeiras cooperativas de produção, a partir de 1929. Nos anos 80, a qualidade dos nossos vinhos teve um aumento significativo. Isto se deve à reconversão de vinhedos, que ganhou impulso com a abertura econômica do País. A vitivinicultura da região do vale do Vinhedos conquista a Indicação de Procedência, em 2002.

Atualmente, o Brasil possui uma área de 82 mil hectares de parreiras cultivadas para a produção de vinhos, divididas em seis regiões. A maior parte delas está instalada em pequenas propriedades.


Premiações

Em 2017, a produção dos vinhos brasileiros cresceu cerca de 169% em relação ao ano anterior, de acordo com a Organização Internacional do Vinho (OIV), o que garantiu ao Brasil a 14ª posição no ranking de maiores produtores do mundo. Somente o Rio Grande do Sul é responsável por 90% da produção nacional.

De uma forma geral, os vinhos brasileiros são jovens, autênticos, e alegres o que, aliado à qualidade, tem garantido o reconhecimento e premiações em concursos internacionais. A maior e mais prestigiada competição de vinhos do mundo, a Decanter World Wine Awards, premiou alguns rótulos brasileiros em 2018:


Privilege Extra Brut – Peterlongo (Espumante)

Produzido na Serra Gaúcha pela vinícola Peterlongo, este vinho é composto por um blend de uvas nobres de Pinot Noir e Chardonnay. A bebida possui um tom amarelo ouro e um paladar harmônico.


Leopoldina Gran Terroir Chardonnay 2017 – Casa Valduga (Branco)

A Casa Valduga está localizada no Vale dos Vinhedos, na Serra Gaúcha. Este rótulo possui intensas notas de frutas tropicais maduras, como a carambola e o abacaxi. Seu paladar tem uma acidez suave e harmoniza bem com carnes brancas, queijos e massas.


Séries Moscatel – Salton (Espumante)

Este é um dos principais rótulos da Vinícola Salton, localizada em Bento Gonçalves, também no Rio Grande do Sul. É produzido a partir de uma variedade da uva Moscato e possui uma coloração amarela. Seu sabor é leve e harmoniza bem com sobremesas como tortas.


Fração Única Cabernet Sauvignon 2014 – Casa Perini (Tinto)

Elaborado com uma variedade de uvas Cabernet Sauvignon, possui aromas de frutas vermelhas com especiarias, um toque apimentado e textura aveludada. É perfeito para acompanhar queijos picantes, massas com molhos condimentados e carnes vermelhas com molhos agridoces.

 

Estes são somente alguns dos vinhos brasileiros premiados internacionalmente. Você já experimentou algum? Quais os rótulos nacionais que mais gostou? Conte-nos!

 

Foto: Banco de Imagens


Bruno Hermenegildo

BRUNO HERMENEGILDO

Sommelier International, formado pela FISAR. Membro da Confraria dos Sommeliers de São Paulo, a mais concorrida confraria profissional do Brasil.

Sabor à Vida

Portal do Estado de São Paulo com tudo sobre Gastronomia: Notícias, TV, Cozinhas, Bebidas, Técnicas, Artigos, Guia Gastronômico, Receitas, Classificados e muito mais.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

20 − doze =