Cultura, Turismo e Gastronomia

Banner Benedita Vaz Massoterapeuta
Banner A. R. Antiguidades
Banner Espaçamento

Ao receber o convite para escrever para o site, deparei-me com muitas ideias até que entendi que todas permeavam o conceito da cultura. Contudo, não podia esquecer da relação com o turismo, minha área de formação, como também a gastronomia, meu interesse. Porém, já alerto que não consigo me desvincular de uma escrita mais acadêmica e por isso o leitor poderá estranhar no começo! Nos primeiros artigos que pretendo produzir para a coluna, abordarei a teoria básica que envolve a relação entre os três temas norteadores (cultura, turismo e gastronomia). Posteriormente, procurarei publicar entrevistas com pessoas que atuam de alguma forma com os temas (de forma direta ou indireta), assim como algumas experiências pessoais com viagens e descobertas (na maioria acidentais).

Para a definição do norte dos artigos, considerou-se que a aliança entre cultura, turismo e desenvolvimento econômico pode ser benéfica, pois o turismo é um fenômeno em constante desenvolvimento e tem adquirido crescente importância devido à sua capacidade de promover efeitos (negativos e positivos) tanto sobre a economia, quanto sobre as relações sociais, a cultura e o meio ambiente das localidades receptoras de turistas, destaca a pesquisadora Juliana Menezes. Porém, o primeiro passo, neste primeiro artigo, é tentar explicar o conceito de cultura.

Este termo possibilita muitos entendimentos acerca de seus significados, estando todos relacionados aos múltiplos aspectos envolvidos e aos diferentes pontos de vista de cada ramo da ciência sobre o tema. Para Roque de Barros Laraia (2006) a cultura seria um sistema adaptativo, definindo-a como um sistema de padrões de comportamento transmitido socialmente, cuja função é adaptar as comunidades à sua base biológica, ou seja, estrutura corporal e características fisiológicas. Já para Claude Lévi-Strauss, a cultura seria um conjunto de sistemas simbólicos de natureza linguística e, portanto, comunicativa (apud OLIVEIRA; RUFFINO; FREITAS, 2016).

Contudo, para Oliveira, Ruffino e Freitas (2016) é importante entender que cada povo, por meio das relações construídas nos diferentes espaços do ambiente e a partir da ação de uns sobre outros, acaba por criar seus modos de pensar e de organizar as relações entre as pessoas e entre estas e o ambiente: sua cultura, da qual fazem parte as diversas identidades de seus portadores. Para entende-la, muitos aspectos podem ser avaliados como a linguagem, a comida, a religião, o comportamento, entre outros aspectos. Para os autores supracitados, por ter sua origem associada a um processo de construção coletiva a partir da comunicação entre os sujeitos de uma sociedade, a cultura engloba a maneira pela qual um povo concebe o mundo.

No século XX, a cultura assumiu uma função de importância sem igual no que diz respeito à estrutura e organização da sociedade moderna, aos processos de intervenção no ambiente global e às movimentações dos recursos econômicos e materiais. Nosso acesso aos significados de outros grupos humanos, outros mundos, outros modos de vida, diferentes dos nossos, assim como as imagens que fazemos deles, mudou. Nessas mudanças, as novas tecnologias aproximaram-nos de um mundo virtual que possibilita um novo estilo de vida – soft, para alguns sem os constrangimentos e dificuldades da interação física real (OLIVEIRA; RUFFINO; FREITAS, 2016). Para Morin (2000) é necessário abordar a complexidade, assumir que os componentes de uma dada situação são interdependentes, ou seja, inseparáveis do todo, o que envolve o conhecimento de uma forma multidimensional tendo em conta a complexidade, o contexto e uma percepção global.

Resumidamente, é importante entender que a cultura pode ser compreendida sob diversas perspectivas, sendo que a noção de que a mesma é construída socialmente e reflete um processo de organização social é um conceito atual. Nas últimas décadas a cultura passa a ser representada como uma forma de caracterizar uma certa comunidade, identificando-se instrumentos de aglutinação cultural como o turismo e a gastronomia, por isso estes temas foram selecionados como base para a esta coluna.

No próximo artigo, procurarei abordar um pouco mais a relação entre a cultura e a gastronomia, fornecendo dicas para leitura que poderão ajudar na formação do leitor e para matar curiosidades!

Banner Espaçamento


REFERÊNCIAS

MENEZES, J.S. O turismo cultural como fator de desenvolvimento na cidade de Ilhéus. 2011. Disponível em: http://www.uesc.br/icer/artigos/oturismocultural.pdf. Acesso em: 03 jul. 2017.

MORIN, E. Os setes saberes necessários à educação do futuro. São Paulo: Cortez, Brasília, DF: UNESCO, 2000.

OLIVEIRA, M.R.G.; RUFFINO, S.F.; FREITAS, D. Cultura no espaço da diversidade. IN: FREITAS, D. Cultura no espaço da diversidade, sustentabilidade e inclusão. São Carlos: Edufscar, 2016. P. 11-26.


Bruna Mendes

BRUNA MENDES

Mestre em Hospitalidade, bacharel em Turismo e Licenciada em Pedagogia, mas acima de tudo, apaixonada pela cultura, turismo e gastronomia.

Cultura, Turismo e Gastronomia
5 (100%) 1 vote[s]
Banner Itu.com.br

Sabor à Vida

Portal do Estado de São Paulo com tudo sobre Gastronomia: Notícias, TV, Cozinhas, Bebidas, Técnicas, Colunistas, Guia Gastronômico, Receitas, Classificados e muito mais.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *