Café Gourmet x Café Comum: você sabe a diferença?

Banner Cafeteria Gamela
Banner Confraria Hallertau
Banner Espaçamento

Por: Murilo Gagliardi

É raro encontrar alguém que não goste de um cafezinho, seja ele com açúcar, adoçante ou simplesmente puro. Até mesmo uma preparação com café é de deixar qualquer um com água na boca.

Hoje em dia existem inúmeras espécies de cafés espalhadas pelo mundo. Para ser mais exato, o café chegou ao Brasil em 1723, trazido por Francisco de Mello Palheta. Após chegar ao Maranhão, foi levado ao Rio de Janeiro e, finalmente, difundido no Sul no século XIX. Os principais tipos de cafés são: Robusta e Arábica. O tipo Robusta corresponde a 30% do café consumido no mundo, possuindo sabor mais amargo e 50% mais cafeína que o Arábica. O tipo Arábica corresponde a 70% do café consumido no mundo. Ele possui sabor suave e é bastante aromático.

Conheça o projeto: “Do Cafezal ao Cafezinho” realizado pela Fazenda Santo Antônio da Bela Vista em Itu

Todo mundo conhece café, mas… e café gourmet? Será que o nosso café de cada dia foi atingido pelo “raio gourmetizador” de que tanto temíamos? Nada disso, vou explicar melhor.

Banner Espaçamento

Café Gourmet x Café Comum

Café gourmet é também chamado de café especial. Seu processo de produção é bem rígido. Os grãos são 100% da espécie Coffea Arábica, que possui um grande número de variedades, como acontece com as uvas do vinho. A partir daí, é preparada uma mistura, um blend, que é o nome dado à mistura de grãos, que podem ser de tipos diferentes, regiões diferentes ou até de pontos opostos de uma mesma fazenda.

Segundo a Associação Brasileira de Cafés Especiais (BSCA), os cafés gourmet crescem cerca de 15% ao ano enquanto os mais tradicionais, cerca de 3%. “O café ganhou status no país. Os brasileiros estão mais educados para o consumo, assim como os conhecedores de vinho, que sabem a origem e as características das bebidas. Cada vez mais empreendedores estão apostando em cafés gourmet e tendo sucesso no mercado. Os cafés especiais correspondem, atualmente, a 5% do volume e a 9% do valor em vendas do setor. A expectativa é que, nos próximos dez anos, eles representem de 10% a 12% do volume produzido“, diz Herszkowicz, diretor-executivo da ABIC (Associação Brasileira da Indústria de Café). Segundo a ABIC, o consumo interno de café é de aproximadamente 20 milhões de sacas. Deste total, um milhão de sacas são de cafés especiais.

Quando se deseja que um café chegue ao mercado com o status de gourmet, seus defeitos deverão se limitar aos padrões mínimos aceitáveis, antes de ir à torrefação. Há muitas diferenças entre um café comum e um café gourmet. A diferença é notável no grão, sabor e cor.

O café comum, que é mais fácil de ser encontrado nos supermercados, é mais barato, pois sua qualidade é inferior, já que mistura frutos verdes e podres em sua composição. Os grãos são torrados pela indústria, escondendo assim os piores aromas e sabores, dando aquele gosto amargo na bebida. O café gourmet é mais caro, mas é feito somente com os frutos maduros e com rigorosa secagem. Dessa forma, a bebida fica mais aromática, com sabor suave e adocicado.


Grande diferença

Grãos: São 100% Arábica, que é um grão nobre colhido manualmente. Já no café comum, é feita uma mistura do tipo Arábica com o tipo Robusta, que é um grão simples colhido por máquinas. A colheita mecânica não separa grãos maduros de verdes, o que afeta o sabor. Sabor: É mais adocicado e intenso no café gourmet. A bebida também não deixa a boca amarga após o consumo. Cor: O café gourmet tem coloração mais esverdeada, ele não é tão escuro quanto o café comum.

Para um café de excelente qualidade, o certo é usar grãos torrados no máximo há 30 dias. Sobre a água no preparo do café, é indicado usar a filtrada e não deixar ferver por muito tempo. A sua temperatura não pode ser alta demais. Se a temperatura ficar acima de 96ºC, pode queimar o pó e resultar em sabor amargo e queimado ao café.


Lista de cafés mais pedidos

CAFEZINHO: Café feito em coador de papel ou pano ou em cafeteiras comuns;
PINGADO: Café com leite;
CAFÉ EXPRESSO: Café feito em máquinas que utilizam água sob pressão;
CAFFÈ LATTE: 1/4 de café, 2/4 de leite, 1/4 de espuma de leite;
CARIOCA: Expresso com mais água;
DOPPIO: Duas medidas de pó de café, dois expressos em um;
AMERICANO: Café feito adicionando água a café expresso extraído;
CAPPUCCINO: Expresso curto, com leite vaporizado e um pouco de chocolate;
CAFFÈ MOCHA ou MOCACCINO: Cappuccino com calda de chocolate;
CAFFÈ MACCHIATO: Expresso com espuma de leite;
LATTE: Um café expresso misturado com leite quente e coberto com um pouco de espuma de leite, normalmente servido num copo de vidro;
LATTE MACCHIATO: Leite vaporizado com um pouco de café expresso;
CAFFÈ CORRETO: Expresso com grapa (aguardente típica da Itália);
IRISH COFFEE: Café com uísque;
CAFFÈ FREDDO: Café gelado (expresso batido ou servido com gelo).

Café Gourmet x Café Comum: você sabe a diferença?
5 (100%) 3 votes

Sabor à Vida

Portal do Estado de São Paulo com tudo sobre Gastronomia: Notícias, TV, Cozinhas, Bebidas, Técnicas, Colunistas, Guia Gastronômico, Receitas, Classificados e muito mais.