Fale inglês em 2019 sem medo de ser feliz no Centro Cultural Europeu

Banner Benedita Vaz Massoterapeuta
Banner A. R. Antiguidades
Banner Espaçamento

Você sabe inglês, mas na hora de conversar com outra pessoa, conversar com estrangeiros, tudo fica travado.

Mas falar outra língua é realmente difícil?

Há que se ter medo?

Retornamos a este assunto por perceber, no dia a dia, a grande dificuldade que a maioria dos executivos de multinacionais encontra para se expressarem em inglês.

Estudaram anos e anos, mas o foco ficou na gramática, não na fala e compreensão.

Porque isso acontece?

Após décadas observando o sistema ensino/aprendizado de línguas estrangeiras, não só aqui, como também no exterior, tanto como linguista, ou como professor e pesquisador universitário, Sidarta Martins chega à conclusão que instalou-se em nosso País um estranho paradigma:

“Falar outra língua é algo muito difícil”.

E, por outro lado, infelizmente, passou-se a divulgar no País a ideia de que “você pode aprender uma língua estrangeira num piscar de olhos”, o que não é verdade.

Nem tanto ao mar, nem tanto à praia.

Sidarta sempre começa as palestras com uma pergunta: “Falar português é difícil?”.

Pois é, falar inglês ou outra língua também não é difícil, exige trabalho e dedicação, nada mais e nada menos que isso.

Como ainda estamos aprendendo a falar o português corretamente, por razões históricas que não são assunto deste texto, a língua inglesa sempre foi vista como algo “de domínio da elite”.

Muito recentemente, pode-se dizer, há poucas décadas, quem estudava inglês ou francês em nosso País, era visto como uma pessoa abastada.

E a Metodologia dos Sons, desenvolvida por Martins na Europa e aplicada no Brasil, tem, como objetivo principal, auxiliar na quebra desse paradigma.

O aprendizado de qualquer língua, inclusive da língua portuguesa, é só uma questão de TRABALHO, não de DIFICULDADE!

O retorno no aprendizado se dará de acordo com o tempo investido no estudo, na leitura, na audição, na escrita. Não há milagre, e não há dificuldade, só há a necessidade de “se querer” aprender.

Umas línguas são um pouco mais trabalhosas que outras.

Umas tem mais palavras que outras.

Só isso, nada do outro mundo.

Para facilitar esse trabalho é necessário seguir o caminho natural do aprendizado em nossa vida:

– Audição, fala, escrita, leitura, aperfeiçoamento da pronúncia, ou seja, através da Metodologia dos Sons.

Para facilitar ainda mais, devemos aprender primeiro a trabalhar com o que está à nossa volta no dia a dia, com aquilo que mais temos contato, que mais gostamos de ler, de fazer, e, depois, aos poucos, ir abrindo o leque, ampliando o conhecimento, em um processo infinito.

Não é assim que a criança aprende a se comunicar?

Mamãe, papai, vovó, titia, amiguinho, alimento, bebida, brinquedo, casa, animal. Depois a rua, a escola, a igreja, a empresa e o mundo, enfim.

Ao abrirmos um livro de inglês, nosso ou de nossos filhos e netos, o que nós encontramos?

Gramática, conversa de adulto, de gente que já fala inglês.

Será que isso está correto?

Todo aprendizado tem que ser natural, prazeroso, encantador, cativante.

Sem medo de sermos felizes.

Matrículas abertas no CCE.

Informações sobre o Curso de Inglês do Centro Cultural Europeu – Escola de Línguas, Unidade Itu, poderão ser obtidas pelos telefones: (11) 4022-3909 ou (11) 98362-9648 (WhatsApp), e pelo e-mail: london_cons@hotmail.com, ou, ainda, no hotsite: www.itu.com.br/faleingles.

Fale inglês em 2019 sem medo de ser feliz no Centro Cultural Europeu
5 (100%) 1 vote
Banner Itu.com.br

Sabor à Vida

Portal do Estado de São Paulo com tudo sobre Gastronomia: Notícias, TV, Cozinhas, Bebidas, Técnicas, Colunistas, Guia Gastronômico, Receitas, Classificados e muito mais.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *